Impostos sobre renda pessoal no Brasil

Os residentes no Brasil são tributados sobre sua renda mundial e os não residentes são tributados exclusivamente na fonte sobre sua renda de origem brasileira. A fonte de renda é determinada pelo local onde o contribuinte está localizado, independentemente de onde o trabalho é realizado.

Para referência, os contribuintes não residentes são tributados apenas sobre a renda brasileira, a uma taxa fixa de 25% (não são permitidas deduções). A receita de aluguel recebida de um imóvel localizado no Brasil é tributada em 15%. A renda recebida no exterior por não residentes é isenta de impostos.

Os contribuintes residentes que recebem renda de fontes brasileiras estão sujeitos a retenções. Os contribuintes residentes que recebem imposto de renda 2020 de fontes não brasileiras ou de pessoas físicas estão sujeitos a pagamentos mensais obrigatórios de impostos sobre valores não sujeitos a retenções.

Taxas de imposto de renda pessoal

Em dezembro de 2018, as autoridades brasileiras emitiram a MP 597/2012, convertida na Lei 12.832, alterando a Lei 10.101 / 2000, que regulamenta a participação nos lucros distribuída aos empregados. A referida lei estabeleceu novas regras.

A possibilidade de o empregado usar a pensão alimentícia paga como dedução da participação nos lucros ou do salário regular. A periodicidade do pagamento deve ser duas vezes por ano, considerando um período mínimo de três meses entre os pagamentos.

Um indivíduo é considerado residente no Brasil quando possui um visto permanente ou temporário com um contrato de trabalho. Um indivíduo é um residente sem contrato de trabalho quando fica no Brasil por mais de 183 dias em 12 meses. Uma empresa estrangeira é residente se foi constituída no Brasil ou possui atividade local.

imposto-de-renda

Os estrangeiros residentes no país são obrigados a pagar impostos sobre sua renda gerada no Brasil e no exterior, a menos que estejam cobertos por um Tratado de Dupla Tributação entre o Brasil e seu país de origem, e devem apresentar uma declaração de imposto anual todo mês de abril.

Os estrangeiros ficam sujeitos ao status de residência fiscal se permanecerem no Brasil por mais de 183 dias em qualquer período de 12 meses, e esse status se aplica por 12 meses após sua última partida do Brasil.

O cidadão estrangeiro que não é residente em imposto é obrigado a pagar imposto apenas sobre sua renda proveniente de fontes brasileiras, a uma taxa de 25% sobre a renda auferida e 15% sobre a renda não adquirida. Eles não precisam apresentar uma declaração anual de imposto.

Como funciona a cobrança do imposto sobre a de renda empresarial?

O Brasil possui um sistema progressivo de tributação pessoal, no qual os indivíduos são tributados até um máximo de 27,5% de sua renda.

O ano fiscal brasileiro começa em 1º de janeiro e termina em 31 de dezembro. A taxa é progressiva de 0% a 27,5% e dividida em três colchetes. Esses colchetes tributários se aplicam aos valores de renda mensal, anualmente.

Existem vários tipos de reduções disponíveis para os contribuintes no Brasil, dependendo do regime da declaração e se ela é simplificada ou completa:

  • Pagamentos feitos por despesas educacionais, até um limite anual de BRL2.198 (US $ 1.266)
  • Contribuições do plano de previdência privada brasileiro, até 12% da receita bruta
  • Taxas de segurança social
  • Doações, determinadas propinas, despesas médicas, etc. (máximo de 20% da renda anual global).
  • Os trabalhadores independentes podem deduzir as despesas ao calcular sua renda para fins fiscais.

Imposto sobre a taxa corporativa

Em 1º de agosto de 2007, as autoridades fiscais emitiram instruções padrão para regular o regime tributário simplificado  anunciado pelo governo brasileiro por meio da Lei Complementar nº 123/2006.

A medida autoriza as empresas sob esse regime – aquelas com receita bruta anual  pagar um imposto único no lugar dos seguintes impostos federais, estaduais e municipais:

cálculo-imposto

  • IRPJ (imposto de renda federal);
  • CSLL (contribuição social federal sobre o lucro líquido);
  • PIS e COFINS (contribuições federais incidentes sobre a receita);
  • IPI (imposto federal);
  • Impostos / contribuições federais sobre folha de pagamento;
  • ICMS (impostos estaduais sobre bens e serviços);
  • ISS (imposto municipal sobre serviços).

A taxa de imposto aplicável varia de 4% a 17,42%, dependendo do tipo de atividade – indústria, comércio, serviços e assim por diante.

Esse novo regime tributário, que entrou em vigor em 1º de julho de 2007, difere dos métodos padrão para calcular o imposto de renda das empresas. As empresas maiores normalmente podem optar por calcular o imposto de renda de acordo com um método de lucro real ( lucro real ) ou um método de lucro presumido ( lucro presumido ).

De acordo com o método do lucro real , o lucro tributável é calculado de acordo com os registros societários e ajustado para fins tributários de acordo com a regulamentação aplicável (cálculo padrão do lucro tributável).

Os contribuintes corporativos podem estimar seus pagamentos mensais de impostos (IRPJ e CSLL) usando regras de cálculo aplicáveis ​​à base de lucro tributável presumida. Um balanço final e uma demonstração do resultado devem ser elaborados no final do exercício e o passivo fiscal anual (incluindo sobretaxa de imposto de renda) calculado.

Qualquer diferença entre o passivo fiscal final calculado e os valores estimados e pagos antecipadamente ou retidos na fonte será paga em março do ano civil seguinte (sujeito a juros) ou reivindicada como crédito tributário.